Queda Capilar



Tratamentos para queda Capilar

 

Quando o cabelo começa a ficar fino, rarefeito ou começa a cair, pode ser muito preocupante. Mas para muitos dos casos a perda de cabelo (alopecia), podemos ter um tratamento satisfatório se descobrirmos as causas e usarmos as medicações adequadas. Nossos dermatologista/tricologista pode lhe ajudar a determinar se a perda de cabelo vai ser permanente ou temporária e aconselhá-lo os melhores tratamentos para perda de cabelo no seu caso.






O que causa a perda de cabelo?

A perda excessiva de cabelo pode ter muitas causas. Entre elas, o seu cabelo poderá voltar a crescer por conta própria. Os tratamentos incluem descobrir e tratar a causa de base da queda do cabelo, bem como visa acelerar o crescimento e nascimento de cabelos viáveis. Quando se tem queda de cabelo, o melhor mesmo é consultar um médico especializado, diagnosticar e iniciar um tratamento o quanto antes.

Normalmente o médico na primeira consulta lhe fará um excelente exame físico e pedirá alguns exames, visando descobrir a causa e propor o melhor tratamento indicado para seu caso. As causas mais comuns de queda de cabelo são:

1. Tratamentos químicos impróprios

Muitas pessoas usam tratamentos químicos em seus cabelos, como corantes, tintas, alvejantes, alisadores e ondas permanentes. Estes tratamentos raramente danificam o cabelo se o cabeleireiro o faz da maneira correta. Mas estes produtos químicos deixam os cabelos enfraquecidos e quebradiços se usados com muita frequência. Se o cabelo se torna frágil pelos tratamentos químicos, é melhor parar o uso deste tipo de produto ate que seu cabelo cresça normal e saudável.

2. Afinamento hereditário ou calvície

Também conhecida como alopecia androgenética, esta é a causa mais comum de perda de cabelo. Você pode herdar o traço da calvície de ambos os lados materno ou paterno. As mulheres com esta tendência herdada da calvice raramente se tornam calvas, mas ficam com os cabelos afinados e também muito rarefeitos. Perda de cabelo hereditária pode começar em adolescentes, 20 ou 30 anos de idade. Enquanto não há cura, os tratamentos médicos podem ajudar muito algumas pessoas.




Os tratamentos incluem: